Pular Navegação (s)

Autocensura e compromisso no pensamento político de Kant


Não disponível

Enviar
Avise-me quando estiver disponível

Descrição Geral

Não obstante seu entusiasmo pela Revolução Francesa, o significado do pensamento político de Kant foi por longo tempo distorcido por um estereótipo que até hoje pesa sobre a cultura alemã: Kant seria um conservador hostil a qualquer transformação político-­social e, afinal, teria defendido a ordem feudal prussiana e a autoridade constituída. Difundido nos ambientes nacional-­liberais depois da derrota dos levantes de 1848 e, sobretudo, de 1870, esse preconceito é apropriado em seguida pelos radicais decepcionados e pelos socialistas e, após as duas guerras mundiais, se torna um lugar comum da historiografia liberal anglófila. Na verdade, por trás da autocensura e da dissimulação para evitar cair nos rigores da lei, todo o pensamento de Kant apresenta uma extraordinária simpatia em relação aos eventos franceses. Sua negação do ?direito de resistência? ao soberano, em particular, longamente interpretada como a demonstração de seu moderatismo, quando colocada no contexto histórico, revela­-se uma poderosa defesa da Revolução Francesa.

Características

  • Número de Páginas: 256
  • Acabamento: Brochura
  • Formato de Mídia: Livro impresso
  • BISAC: PHI000000

Comentários

Deixe seu comentário e sua avaliação







- Máximo de 512 caracteres.

Clique para Avaliar


  • Avaliação:
Enviar
Faça seu login e comente.

Detalhes

Marca: Ideias & Letras Referência: 9788565893633